quinta-feira, 18 de maio de 2017

A SAUDE DE QUEIMADAS ESTÁ DOENTE

        NOTA DE REPÚDIO
                                                                               


“O SAMU, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, administrado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, atua em parceria com o Ministério da Saúde. O serviço pode ser acionado pelo telefone 192 e atende a três objetivos: atendimento para casos clínicos, a regulação do sistema de vagas de urgência e emergência em hospitais secundários e terciários por uma central 24h e educação  em urgência e emergência”.

O Instituto de Cooperação Agrícola – ICA vem a público, por meio desta nota, expressar o seu repúdio diante dos últimos casos que demonstram a falta de saúde pública de qualidade na cidade de Queimadas/PB, e também a ausência do tratamento efetivo em todas as áreas da saúde pública no município, mas especialmente àquelas voltadas ao serviço do SAMU.

Nesta segunda (15) o assunto do SAMU, foi tema envolvendo os queimadenses a respeito do falecimento de dona Maria Ferreira do Nascimento, mais uma vítima da demora do atendimento do citado serviço no município de Queimadas. Ora, se o serviço foi criado para o atendimento de urgência e emergência, como se explica este descaso?

Por falta de atendimento a situação se torna ainda mais crítica quando analisamos os dados informados pelos meios de comunicação, os quais expõem que somente este ano foram registrados vários casos de omissão semelhante ao que levou a morte de dona Maria Ferreira do Nascimento, que diante da demora em ser atendida não resistiu e veio a óbito.

O assunto diz respeito à saúde pública como também a política pública de atenção à mulher, pois neste caso foi vítima uma mulher, pela omissão do poder público, que também expressa uma outra perca para o nosso município diante da tentativa em neutralizar a atuação da pasta de políticas públicas para as mulheres, através da extinção pela atua gestão, da Secretaria de Políticas Para as Mulheres.

Fica registrado aqui a nossa indignação pelos fatos citados e o clamor para que as autoridades tomem medidas para reverter este quadro. Ontem foi dona Maria Ferreira do Nascimento, amanhã pode ser qualquer um de nós ou alguém de nossa família a ser vítima do mesmo descaso.


Atenciosamente,

Sidney Oliveira
Presidente do ICA

Queimadas/PB, 16 de maio de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário